01-

Cálculo de tubulão

02-

Cálculo tubulão falsa elipse

03-

Cálculo sapata armada

04-

Cálculo bloco p/ estacas

05-

Carga admissível por SPT

06-

Carga admissível por Nega e Repique

07-

Capacidade de carga - Terzaghi

08-

Capacidade de carga - Hansen

09-

Recalque admissível - Schmertmann

10-

Dimensionamento de estacas

11-

Cálculo do atrito negativo

12-

Carga adm perfis metálicos

13-

Carga adm tubos metálicos

14-

Carga adm trilhos metálicos

15-

Recalque estacas - Método  Aoki

16-

Método Decourt-Quaresma

17-

Hélice Contínua - Antunes&Cabral

18-

Relatório de Sondagem por CPT

19-

Relatório de sondagem por SPT

 

 

 

     


_História das fundações

"A questão solo-estrutura está intimamente relacionada com a utilização da computação eletrônica na Engenharia de Fundações."

 

VARGAS, M. 1998

 

 

 

 

 

   

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 
       
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

13- Cálculo da carga admissível de tubos metálicos

 

 

 

Software, programa em Excel que determina, para projetos, a carga admissível de estacas metálicas, tipo fundações em tubos metálicos de seção circular, quadrada e retangular cravados. Software que determina a carga total, lateral e de ponta em estacas em tubos metálicos, considerando ponta embuchada, parcialmente ou sem embuchamento. O programa realiza automaticamente o cálculo da carga admissível da estaca estática e dinâmica em tubos metálicos.

A carga admissível é calculada através dos métodos semi-empíricos clássicos utilizados na construção civil, são eles:

 

1) Pedro Paulo Costa Velloso
2) Aoki-Velloso
3) Decourt-Quaresma
4) Alberto Henriques Teixeira
5) Urbano Rodrigues Alonso

 

A verificação da nega através da carga admissível estática é realizada pelo método de Hiley. Além da verificação da nega, o programa realiza a verificação da tensão de cravação, lenvando em consideração as características do equipamento de cravação.


Abaixo foi inserido um exemplo para entendermos o programa passo a passo.
Na figura logo a baixo temos uma ilustração do programa na parte de inserção de dados geotécnicos e da peça. Acompanhe a explicação do programa.
 

 

   

 

 

Entendendo passo a passo:

Na figura ao lado, podemos ver que existem campos para inserção dos dados de SPT, tipo de solo e dados da estaca. Para iniciarmos o trabalho do cálculo da estaca teremos, inicialmente, que inserir os dados geotécnicos. Neste exemplo foi inserido valores de SPT do 1° metro de profundidade até a cota 27 e o tipo de solo variou entre argilosos e arenosos. Em todos os casos, os campos de SPT e solo precisam estar preenchidos e marcados de forma correta. Para SPT, o valor deverá ser inteiro e maior que zero e não poderá ter uma célula intermediaria vazia. O mesmo acontece com o tipo de solo aonde deverá estar marcado apenas uma opção para cada SPT preenchido e também não ter linha sem marcar intermediárias. No exemplo abaixo, além dos dados geotécnicos, inserimos os dados da estaca; comprimento, momento da direção "x", a carga de compressão, de tração, o limite de escoamento do aço do perfil (tabela dos fabricantes), espessura de 1,5 mm para corrosão (NBR6122) e a massa específica do aço utilizado.

Esse exemplo foi o mesmo citado para o programa de perfis metálicos e a diferença acontecerá quando passarmos para o tipo de estaca.

 

 

 

 

Nessa próxima etapa escolheremos o tipo de seção, iremos inserir os valores para as medidas da seção e da espessura da parede do tubo.

No caso ao lado, foi escolhido o tubo de seção circular inserindo 500 mm para o valor do diâmetro e 10mm para a espessura da parede do tubo. Ao lado do perfil teremos o cálculo automático da geometria do perfil e abaixo outro resultado em termos de eficiência à tração e compressão. No campo citado como eficiência do perfil temos outros dado importantes: "Tensão max adm na estaca", significa que essa é a tensão máxima que a peça suporta e o mesmo para "Carga max de trabalho na estaca", que também significa o máximo de carga que a estaca suportará. Em "Carga de trabalho atuante", o valor será correspondente à carga total que está atuando na peça. A "Eficiência de compressão" será exatamente a relação entre carga max de trabalho/carga de trabalho na estaca, onde esse valor deverá ser igual ou maior que 1. Para "Eficiência de tração" esse será o valor da carga de tração, inserida por você, em relação à "Carga de trabalho na estaca", também deverá ser igual ou maior que 1. Caso alguma das "eficiências" estiver abaixo de 1, aparecerá o símbolo # para lhe alertar.

Mais a baixo você verá o campo para considerar o embuchamento da ponta. Neste exemplo considerei que a ponta da estaca se encontra totalmente embuchada ou obstruída, mas é um campo aonde você poderá considerar como achar apropriado, basta inserir o valor em %.
 

 

 

 

Na próxima figura veremos os resultados da carga admissível da peça cravada.

Em "CARGA ADMISSÍVEL RELAÇÃO ESTACA/SOLO", teremos os resultados dos processos para carga admissível da estaca. Cada resultado será verificado no quadro logo ao lado em: "EFICIÊNCIA DE COMPRESSÃO" e "EFICIÊNCIA DE TRAÇÃO". A eficiência de tração e compressão são comparações entre o valor de carga admissível da estaca com as cargas atuantes. O valor de eficiência deverá ser igual ou maior que "1", caso contrário aparecerá o símbolo # em vermelho, indicando que naquele processo o valor não foi aprovado.

 

 

 

 

Na próxima etapa veremos como calcular a nega e a tensão máxima de cravação.

Na figura ao lado podemos ver um exemplo do cálculo da nega e a tensão máxima de cravação. Os valores inseridos para "Altura de queda do martelo", "Peso do martelo", "Tamanho do coxim" serão vitais para chegar à um valor da nega e tensão máxima de cravação. A tensão máxima de cravação será a tensão igual ou menor que o limite de escoamento do aço, neste caso: 250 MPa. Caso a tensão de cravação seja maior que o limite de escoamento e se a nega for inferior a zero, o símbolo # aparecerá para alertá-lo. NOcaso a baixo, a nega fora de a,46 mm ou 4,6mm?10 golpes com tensão de cravação abaixo do limite de escoamento do aço, neste caso 250MPa

 

 

 

 

 



Na figura ao lado podemos ver os gráficos que o programa apresenta na sua parte inferior. Os gráficos fazem uma análise em relação à carga atuante e máxima da estaca. No outro gráfico é relacionado a tensão de escoamento do aço em relação à tensão de cravação utilizada.

 

No gráfico maior são apresentados as análises dos resultados dos processos em relação as capacidades de cargas por atritos e admissível. Este gráfico ajuda-nos a entender as cargas admissíveis de cada métodos de cálculo e como cada resistência se comporta em relação à outra.

 

Desta forma fica mais fácil uma boa ilustração da situação e nos ajuda a montar detalhes a respeito do comportamento dos métodos em relação às profundidades, aos valores a serem investidos e as tensões em relação aos procedimentos de cravação.

 

 

 

 

 

 

 

 

Formulário para adiantar o pedido

 


 

Valores e promoções

 


 

Contas bancárias disponíveis para depósito

 


Formulário para recebimento dos programas